Buscar
  • PIBBC

HOMENS QUE ANDAM EM JUSTIÇA

Senhor, Deus de misericórdia, através de Jesus Cristo, ouso entrar em tua presença. Com humildade, peço que teu Espírito ilumine meu entendimento, para que aquilo que for ministrado venha a ser uma novidade de vida, o transforma de um caráter tocado pela tua graça. Em Teu nome, Senhor Jesus, eu clamo. Amém.

No livro de Isaias capítulo 33 o profeta nos oferece de maneira prática atitudes que Deus espera de homens que buscam Sua Justiça. Desejo propor aos irmãos uma breve reflexão a respeito destas características que devem fazer parte de nosso Homem interior.


No verso 14, o profeta faz uma afirmação dizendo que os "pecadores em Sião se assombram" quando deparados com um "fogo devorador" e com "chamas eternas". O "tremor que se apodera dos ímpios", como afirma o profeta, está no fato de que aqueles que habitavam em Jerusalém, não andavam em justiça. Quando o Senhor se fez habitar em Sião, não havia lugar para comportamentos cheios de falsa justiça. O Deus que descortina o coração do homem, tem um padrão muito elevado para que este, com sua fraca moral, permaneça diante dEle.


Nos versos seguintes, Isaias nos mostra quais são as atitudes de justiça que são expressas de um coração que anda em retidão com o Senhor:

"O que anda em justiça e fala o que é reto"

A caminhada de um homem justo está atrelada não apenas com um palavreado polido, mas, o homem santo através de sua boca, apresenta ao mundo os caminhos da sabedoria de Deus. O que é reto tem poder de endireitar as veredas tortas do mundo, somente em Cristo reside este poder.


"O que despreza o ganho de opressão"

Ao ceder à ganhos de opressão, o homem torna-se réu juntamente com o opressor. Preso pela ganância, quem usa da opressão para receber ganhos, recebe algo que

não é seu. Ao contrário de tal comportamento, assim como Cristo, o justo deve anunciar a libertação das cadeias, trazendo vida aos oprimidos.


"O que, com um gesto de mão, recusa aceitar o suborno"

O que mais chama atenção para esta atitude, está no fato de que o justo não se ilude pela contemplação da riqueza. Ele não olha para o suborno, de imediato o rejeita, afastando-o de seu coração.


"O que tapa os ouvidos, para não ouvir falar de homicídios"

Podemos relativizar esta fala ao simples sentido de ouvir sobre homicídios. Mas a simplicidade desta interpretação não nos levará a contemplar o que o profeta adverte. Em uma sociedade que não caminha na justiça de Deus, o injusto age injustamente, ao ponto de desejar a morte de seu semelhante para que sua vontade seja cumprida através destes atos pérfidos. O justo não dá ouvidos ao seu coração, mas confia no Senhor, esperando em quem o pode defender.


"O que fecha os olhos, para não ver o mal"

A preposição "para" dá o sentido à frase de que o justo não compactua com a maldade. Sendo assim, ele se fecha para o mundo que pratica a maldade, não compactuando com suas obras más. Entretanto, ele não está alheio ao mundo, o justo nunca deixa de falar e agir com retidão.


Por fim, àquele que age com temor ao Senhor, seguindo um caminho de justiça, estão reservados "uma habitação nas alturas, onde as fortalezas das rochas serão o seu refúgio, o seu pão lhe será dado e não haverá falta de água."


Somos encorajados a buscar o temor do Senhor vivendo em justiça e santidade.




Por Marcel Henrique Simas

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo