Buscar
  • PIBBC

UNA-SE AO LOUVOR DA CRIAÇÃO

Você já parou pra pensar que cada pássaro, cão, cada leão ou gato, cada oliveira ou videira, cada folha ou flor colorida, cada olhar humano, cada toque de mãos, tudo isso é a vida pulsante de Deus?


A natureza exulta ao Senhor pelo que é, nós, diferentemente, O refletimos pelo que Ele é em nós. Lá em Salmos 65, o salmista diz: “do nascente ao poente, despertas canções de alegria”. É a glória de Deus sendo cantada por sua própria criação.


Observe a natureza que o rodeia nesse exato momento, seja uma fruta que você come ou uma grande árvore que embeleza a avenida, você consegue ouvir o som de louvor a Deus? Tudo O engrandece. Tudo O enaltece.


E quanto ao nosso louvor? Se não há em você o sentimento de união ao louvor da criação, avalie a sua adoração, talvez ela esteja longe da genuinidade desse ato.


Bendize, ó minha alma, ao SENHOR! SENHOR Deus meu, tu és magnificentíssimo; estás vestido de glória e de majestade.

Ele se cobre de luz como de um vestido, estende os céus como uma cortina.

Põe nas águas as vigas das suas câmaras; faz das nuvens o seu carro, anda sobre as asas do vento.

Faz dos seus anjos espíritos, dos seus ministros um fogo abrasador.

Lançou os fundamentos da terra; ela não vacilará em tempo algum.

Tu a cobriste com o abismo, como com um vestido; as águas estavam sobre os montes.

À tua repreensão fugiram; à voz do teu trovão se apressaram.

Subiram aos montes, desceram aos vales, até ao lugar que para elas fundaste.

Termo lhes puseste, que não ultrapassarão, para que não tornem mais a cobrir a terra.

Tu, que fazes sair as fontes nos vales, as quais correm entre os montes.

Dão de beber a todo o animal do campo; os jumentos monteses matam a sua sede.

Junto delas as aves do céu terão a sua habitação, cantando entre os ramos.

Ele rega os montes desde as suas câmaras; a terra farta-se do fruto das suas obras.

Faz crescer a erva para o gado, e a verdura para o serviço do homem, para fazer sair da terra o pão,

E o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem.

As árvores do Senhor fartam-se de seiva, os cedros do Líbano que ele plantou,

Onde as aves se aninham; quanto à cegonha, a sua casa é nas faias.

Os altos montes são para as cabras monteses, e os rochedos são refúgio para os coelhos.

Designou a lua para as estações; o sol conhece o seu ocaso.

Ordenas a escuridão, e faz-se noite, na qual saem todos os animais da selva.

Os leõezinhos bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento.

Nasce o sol e logo se acolhem, e se deitam nos seus covis.

Então sai o homem à sua obra e ao seu trabalho, até à tarde.

Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas.


Salmos 104:1-24


É essa criação que traz ordem à vida humana, que faz brilhar o sol aos dias e as estrelas às noites. E é nessa criação que Ele revela o Salvador do mundo, o Messias.


O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;

Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.

E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.


Colossenses 1:15-17



É nEle, por meio dEle e por Ele que todas as coisas são criadas, perdoadas e redimidas. Agora, o homem poder ser plenamente vivo, em Cristo. Dia após dia, sol após sol, no cotidiano comum, expressar o louvor, ser parte desse quadro extraordinário que é a criação.


Cristo o salvou para a eternidade e a eternidade é isso: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”

João 17:3


Isso significa negar que viveremos eternamente com Ele, após a sua volta? Não! Isso é viver a eternidade aqui, é desfrutar do louvor genuíno ao Criador, juntar-se à sua obra em uma orquestra de perfeita sintonia. Onde o regente é Seu próprio Filho, atraindo os que escolhe ao Pai.


A vitória de Cristo sobre o pecado nos capacita a viver em adoração mesmo em um mundo dominado pelas trevas. E saber que um dia triunfaremos na glória de Cristo, só nos traz ainda mais motivos para celebrarmos, assim, festejamos pela antecipação dessa grande dádiva. Somos testemunhas de Seu imenso poder.


Hoje vivemos uma sombra do futuro pleno, mas não podemos ignorar a vida cristã agora. Viver no mundo criado, redimido pelo sangue do Cordeiro, é unir-se à Sua criação com gemidos e louvores. Você é vaso moldado pelo Oleiro para ser cheio da transbordante glória divina. Independentemente do que essa glória traga consigo, porque nEle, assim como afirmou o apóstolo Paulo, nos fez mais do que vencedores sobre todas as tribulações e tentações.


O mais incrível é que, diante da igreja, podemos contemplar tal glória uns nos outros. O transformar do Noivo em sua amada.


Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.


2 Coríntios 3:18


Meu convite é para que louvemos ao Criador, juntamente com Sua obra criada. Sejamos transformados conforme O adoramos, e sejamos reflexo de Sua glória por sobre a terra. Testemunhas vivas.


Referência:

WRIGHT, N. T.. Salmos: contextos históricos, literários e espirituais para resgatar o significado do hinário do antigo israel. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2020. 190 p. 2020.



Texto por Gabriela Neves Simas

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo