Buscar
  • PIBBC

SEMEANDO COM LÁGRIMAS, COLHENDO COM ALEGRIA

Chegamos ao último texto da série sobre Salmos. E posso dizer que ler, meditar e cantar os Salmos é tão essencial quanto o nosso café da manhã. Se pularmos essa refeição tão importante, podemos comprometer muito do nosso rendimento diário. Do nosso viver para o Senhor naquele dia.


Ao viver essa prática, você é constante lembrado sobre as promessas de Deus e o Seu compromisso para com Ele. Quando você recebe outros convites em contrapartida dos compromissos dominicais, você se lembra de Salmos 84.10: “Prefiro ficar à porta da casa do Senhor a habitar nas tendas dos ímpios”. Quando você carrega consigo traumas e dores em relação à sua existência e se lembra do poderoso e glorioso envolvimento do Deus supremo na criação humana e como Ele fez parte, desde o princípio, de nossa concepção e formação, como dito em Salmos 139.


Esse Deus Soberano sobre toda criação é o mesmo que sonda e conhece o mais profundo do nosso coração. Que sabe de nossas mais lindas obras e também perscruta nossas mais podres e ocultas intenções. Somos um livro aberto diante dEle, nada podemos esconder, tudo em nós é sabido pelo Senhor e até mesmo previsto por Ele.


Em Salmos 126, versos 5 e 6, o autor nos leva para a seguinte cena: um semeador saindo para semear com lágrimas nos olhos e voltando, imagino até saltitante, com cantos de alegria e os feixes em mãos. Que bela e maravilhosa descrição do nosso Emanuel. Com dores, vergonha e humilhação, Ele semeia Suas palavras, Seus ensinos e por fim, até mesmo Sua morte. Nós devemos partilhar das mesmas lutas de nosso Semeador.


Aceitar o chamado do Senhor é partilhar do choro da semeadura, mas desfrutar eternamente do gozo da colheita. Seja chorar pelas dores que causam em nós, ou mesmo pelas mazelas de nosso próprio pecado. Saiba que os sorrisos e o júbilo da colheita não virão quando desejamos e nem da forma como desejamos. Mesmo no mais indigno semeador, há glória na semeadura que passa pelo Cristo, e que assim morrendo, gera vida através da Videira Verdadeira.


A Palavra Viva e Eficaz é capaz de gerar frutos que permanecem, mesmo que semeada por pessoas incapacitadas. Esse mesmo semeador falho arde em esperança pelo dia que toda a criação será livre do pecado. Mas enquanto este tempo não chega, vivemos o hoje contemplando a glória do Criador sobre Sua obra. Haverá um dia, em que a terra, então, se encherá da glória de Deus (Hb 2.14).


Ver Sua glória sobre as rochas, os mares, os animais e as montanhas, os frutos e as folhas, é desfrutar da dádiva do agora. Salmos é um convite para louvar as incontáveis e cheias de sabedoria, obras de Deus (Sl 104.24).


Celebrar a criação, é celebrar ao próprio Deus, é celebrar ao Cristo. Como no primeiro texto eu lhes trouxe, Salmos existe há séculos, muito antes de todos nós, e saiba, eles perdurarão por anos e anos. Eles são a prova da fidelidade do Senhor para com um povo, nós, a Sua igreja.




Por Gabriela Neves Simas

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo